Stetic Cris

sábado, 20 de novembro de 2010

Gorduras do bem

Quando falamos em ganho de peso, dietas, de doenças causadas por uma alimentação inadequada, entre outras coisas, sempre vem em nossa mente as gorduras, não é mesmo?

Mas mesmo com tudo que ouvimos contra elas, as gorduras não podem faltar em nossa alimentação, desde que elas fiquem em 30% do toal diário de calorias.

Na verdade este fato é baseado nas funções, que são importantes, que a gordura tem na saúde.

Assim como os carboidratos, as proteínas, as gorduras também são essenciais.
É verdade, que não são todos os tipos de gorduras que nos beneficia, por exemplo, aquelas classificadas como saturadas e hidrogenadas, causam problemas, e estão associadas ao desenvolvimento por exemplo, das doenças cardiovasculares.
Antes de abolir as gorduras do seu dia a dia, já que ela também é essencial, você precisa saber diferenciar os tipos de gorduras existentes.

Aqueles 30% que nos referimos no começo, é importante deixar claro, que apenas 7% devem ser de gorduras saturadas.

As gorduras saturadas, que estão associadas à doenças cardiovasculares, encontram-se presentes em todos os alimentos de origem animal, como leite e seus derivados, carnes vermelhas, pele de frango e embutidos de uma forma geral.

Já as gorduras classificadas como insaturadas, se subdividem em monoinsaturadas ou poliinsaturadas, que se constituem de óleos vegetais e azeite, castanhas, sementes oleaginosas, como a linhaça, e alguns peixes, como salmão, truta, cavala, arenque, sardinha e atum fresco.

Dentro das gorduras insaturadas merece destaque as poliinsaturadas, que são ricas em ômega 3 e ômega 6, que além de serem consideradas essênciais, o nosso organismo não as produz, sendo então obrigatória em uma dieta saudável e equilibrada.

Outro ponto de discussão, que fez muitas pessoas abolirem o óleo vegetal do preparo dos alimentos e ainda dizerem com uma certa "vantagem", que os preparam sem o mesmo, é porque tem pouco conhecimento de tal fato, já que os óleos vegetais, são as principais fontes de gorduras essenciais em nossa alimentação e sua retirada do cardápio pode levar à perda da proteção que ele exerce sobre o organismo, tanto do ponto de vista cardiovascular, quanto imunológico.

Independente de qual atitude você irá tomar com relação à ingestão de gorduras, o equilíbrio e o bom senso devem sempre prevalescer.

Para saber exatamente o que deve ingerir ou as quantidades, o ideal é que você procure um médico ou uma nutricionista, que irá orientá-lo da maneira mais adequada possível, além de fazer um plano alimentar de acordo com suas características.