Stetic Cris

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O que seria uma perturbação do comportamento alimentar?

Interessante pensar que seria possível desenvolver uma perturbação em nossa forma de se alimentar, pois é um ritual diário e conhecido.
Mas muitas vezes algumas formas de se alimentar que levam a um desequilíbrio emocional como práticas de controle de peso persistentes e radicais.

Podemos destacar o início de um descontrole alimentar com uma perda de peso significativa, como também um ganho de peso rápido, um persistente descontentamento com seu corpo, contornos corporais, ocorrendo uma distorção da imagem corporal real:


- Práticas de controle do peso pouco recomendáveis e saudáveis, como também uma quase ausência de ingestão de alimentos, voracidade incontrolável, indução do vômito, uso abusivo de laxantes e de diuréticos e prática excessiva de exercício físico;

- Medo irracional de engordar e com um forte desejo de ser magro;

- Suas relações familiares, e sociais demonstram estarem em desequilíbrio, descontentamento, afastamento de pessoas e atividades antes prazerosas;

- Sofrimento com as obsessões sobre o peso e a quantidade de alimentos ingeridos, consequente ansiedade no controle dos mesmos, mudanças de humor bruscas, com sentimentos de culpa;

- Comportamentos de desconfiança, insegurança e afastamento do ambiente que antes era familiar e agradável;

- Obsessão constante com o corpo, rituais na hora de se alimentar ou mesmo desenvolvimento de estratégias para não levantar suspeita nas pessoas com que convive;

Esses indicadores constitui o quadro emocional de pessoas que apresentam perturbações no Comportamento Alimentar, precisando da orientação de uma equipe multidisciplinar para acompanhar e tratar a situação apresentada.

Atualmente essa patologia vem aumentando significamente, gerando a necessidade dos pais estarem mais atentos, para que reconheçam de início os sintomas relatados.
Mas não é exclusividade somente de adolescentes, hoje recebemos crianças e adultos já com família constituídas, o que mostra um agravamento dessa situação.

Os distúrbios alimentares são responsáveis pelos maiores índices de mortalidade entre todos os tipos de transtornos mentais, ocasionando a morte em mais de 10% dos pacientes.


Psicóloga e especialista em Transtornos Alimentares, Luciana Kotaka desenvolve seus trabalhos há mais de 14 anos, sendo referência nesta área por realizar atividades focadas em tratamentos que envolvam a relação direta entre o distúrbio do peso e a psicologia.
Em seus trabalhos, Luciana parte dos conhecimentos dessa ciência para então chegar nas possíveis causas do transtorno alimentar do paciente. Nos encontros, busca mostrar às pessoas que é possível emagrecer de forma sadia tanto mentalmente quanto corporalmente.
Neste novo formato de terapia o paciente consegue observar o quanto têm um papel fundamental para sua própria saúde, bem estar e qualidade de vida. 
Psicóloga Luciana Kotaka
CRP – 08/06502-1
www.lucianakotaka.com.br
Curitiba - PR